2009-12-31

2009 - O Ano que já vai tarde

Chega, né?
2009 já deu o que tinha que dar, e do pouco que foi dado, muito foi tirado.
Engraçado que este tinha tudo pra ser um dos melhores anos da minha vida. Até que começou bem o desgraçado. :-)
Estava num emprego em uma empresa conceituada, onde conheci gente inteligente, esperta e interessante, com um bom salário e trabalhando num projeto simplesmente do c*r*lh*. Só que fui demitido 2 dias antes do meu aniversário. :-P
(E antes que alguém pense bobagem, não guardo nenhum sentimento negativo da empresa ou das pessoas lá dentro - não funcionamos juntos naquele momento. Eu no lugar deles, teria feito o mesmo. Aqueles cursos de PMI que fiz na Fundação foram as coisas mais importantes que já aconteceram na minha carreira).
Me dei um mês de férias, passei outro mês procurando oportunidades, e foi aí que fiz a maior bobagem do ano: achei uma boa idéia reatar um relacionamento que deveria ter sido enterrado junto com o ano anterior.
Curioso, este relacionamento (já finado - Palavras do Senhor) é a metáfora do meu ano: tinha tudo para funcionar, foi algo que me fez muito bem durante algum tempo, mas tão logo a Vida Real(tm) mandou recado dizendo que tinha um Mundo lá fora, cheio de problemas exigindo minha atenção, a "vaca foi pro brejo" (pun not intended, mas se a carapuça servir, f*d@-se).
Meus problemas familiares também resolveram dar o ar de sua graça, com a curiosa "coincidência" de ocorrerem exatamente quando a falecida acima mencionada "suicidou" o relacionamento.
Só me recuperei do golpe (físico, emocional e financeiro) semana passada pouco antes do Natal.


Agosto, mês do desgosto.


Falando claro e abertamente, eu quebrei. Seguiram-se 6 ou 7 semanas em que eu não dormia, ou se dormia o fazia muito mal. Apelei pra quase toda solução (legal, diga-se de passagem - não uso, nunca usei, e jamais usarei drogas ilegais - oh, a carapuça serviu de novo? F*D@-SE), mas nada me fez dormir mais que 4 a 5 horas no máximo: no exato instante em que o remédio declinava, eu acordava.
Neste ponto, um homem precisa tomar uma decisão: ou encarnava Michael Douglas em "Um Dia de Fúria" e saia pela cidade me "divertindo" (e Deus sabe que eu iria me divertir horrores!) até o sangrento ou litigante fim, ou me internava num Manicômio.
Fazendo umas continhas, descobri que Psis, remedinhos de Psicopatas (DORGAS MANO LOL) e PQs sairiam bem mais barato que Advogados. Optei pelo Manicômio por questões econômicas. :-D
Só estou aqui agora, inteiro e em condições de retribuir generosamente ]:-> tudo o que me foi dado este ano pela obra e graça desta abençoada decisão. Nem sempre o caminho mais divertido é o mais adequado. Aliás, bem poucas vezes. :-P
Mas eis que sou um homem de sorte. As sessões de terapia são divertidas pacas! A minha Psi foi o melhor presente de Natal que já ganhei (thanks, Patty!) :-D
E a PQ é uma gostosa que vocês não têm idéia... O:-)
De lá pra cá, consegui me reeguer e me reequilibrar - não sem alguns tropeços, mas esta foi a parte divertida da situação: fica para outro post (este aqui é pra enterrar 2009, não celebrar o que ele não conseguiu me arrancar).
Não vou mentir: a vida continuou difícil. Continuei com problemas no trampo novo, alguns bem sérios (mas estes, eu sei resolver). Continuei tendo que me virar pra dar conta do meu AP - mas nem sempre sozinho: minha ex (ela tentou, admito), meu pai e o Andrézinho Moleque Safado ajudaram pra cacete também. O que eu tenho de melhor (meus livros, DVDs, e até um Piano Digital!!) continuam pegando mofo e baratas em Manaus (mas, agora, eu estou conseguindo guardar a grana pra trazer).
É, minha vida continua difícil. Mas, queridos, eu prefiro uma Vida Difícil e Feliz, à uma Vida Fácil, Alegre e Triste. Quem é feliz não precisa jogar a suposta "Vida Triste" na cara dos outros pra se sentir melhor. (Hein? A carapuça serviu de novo? Humm... Que Triste!)


São as pessoas que salvam o ano, lembrem-se disso!

Também são elas quem o destróem, não esqueçam...

Mas não sofri sozinho. Gente querida sofreu golpes fortíssimos, aqui perto de casa, e eu não pude fazer nada pra ajudar. Não consegui nem estar perto, por mais que eu quisesse, por mais que eu tentasse (e o bobão aqui sempre tenta, mesmo sabendo que quase sempre acaba fazendo merda: como tentar botar crédito num celular pós-pago no caixa do banco - e a fila lá atrás xingando meus antepassados até a décima-terceira geração).
Não que houvesse algo possível de ser feito - Thanatus é irredutível.

Mas eu também sou.

Minha teimosia é o que me mantêm em pé - e algumas pessoas vivas.
Mas nem sempre é o suficiente.
Poucos dias antes do Natal, 2009 fez-nos lembrar que ele ainda estava entre nós. Ocorreu um acidente sério no meu Condomínio, e Thanatus mandou lembranças novamente: uma vizinha morreu.
Este foi um dos eventos mais dramáticos do ano inteiro. Eu tinha acabado de passar pela catraca do Metrô São Bento quando um amigo, que estava hospedado aqui em casa com a mãe enquanto procurava AP pra alugar na cidade, me liga desesperado dizendo que o prédio onde moro estava em chamas.
Pronto. Fudeu. Quando criança, eu assisti ao vivo na TV o incêndio no Edifício Joelma (que por sinal, é pertinho de onde eu trabalho). O Paulistano é traumatizado com incêndios em prédios, e eu não sou exceção.
Aproveitando a deixa, os Serviços de Emergência desta cidade são impecáveis.
Eu não sei como não fui preso. Dei meia volta, peguei novamente o Metrô e abri caminho, ensandecido, pela multidão entre pedidos de desculpas, empurrões e, pelo menos em um caso, cotoveladas. A mãe deste amigo estava no apartamento quando saí de casa (eu levo apenas 20 minutos pra chegar ao trampo), e eu deixei um rastro de bosta e hematomas por meia São Paulo até chegar em casa e descobrir que ela (e também meu lar!) estava bem.
Fiquei alguns dias esperando uma intimação da Polícia por agressão. Felizmente, ninguém me seguiu...
Não há muito o que falar sobre esta tragédia, exceto o que já publiquei no link da foto. Eventualmente, o laudo da perícia vai sair - e confirmando-se o que eu acredito o que vá acontecer, provavelmente um post irado será publicado aqui.

De forma que, sim, estou muito contente em enterrar 2009. Gostaria de enterrá-lo ainda vivo, desgraçado, mas não tenho como adiantar o ano novo! :-D
Mas posso comemorar seu fim. ;-)
Pela primeira vez desde que vim pra cá, vou passar o Reveillon na Paulista. Vou aproveitar que estou novamente em forma (yess!! Perdi todos os quilos que ganhei desde que cheguei nesta #SaoPauloInsana!), aprendi algumas lições na Virada Cultural deste ano (outro dia conto a história) e, francamente, aos quase 40 anos é bom eu começar a matar algumas vontades enquanto tenho condições físicas para agüentar o tranco.
Adquiri quase todo o kit de sobrevivência necessário, e vou curtir o som da Pitty (é, eu gosto! E daí? Vai encarar?). Provavelmente vou voltar todo roxo do evento, mas nenhum hematoma ficará impune. :-D
Mas, por via das dúvidas, alguém poderia me indicar um bom advogado que esteja de plantão neste Reveillon? ;-)