2007-02-27

Rapidinha: Filosofada Veredito-Esclarecedora

Julgar é viver. Quem não julga, não vive.

Somos chamados à julgar-nos mútuamente pela vida, sob pena de unirmo-nos [uiuiui, como estou pedante!! :-)] a pessoas que, francamente falando, vivem apenas para usurpar de outros aquilo que se sentem incompetentes para obter por si próprias.

Diga-me com quem andas, e direi-te quem és.

As pessoas que ojerizam rótulos e julgamentos são justamente as que só tem a perder com estes...

Mas o Direito de Julgamento não deve ser confundido com o Privilégio de Condenar - poucos possuem o mérito necessário para tanto...

E lembrem-se que nada do que se faz fica impune:

"Os julgamentos que fazes de mim dizem muito sobre quem tu és, mas pouco sobre quem eu sou..."

Tenham cuidado com seus vereditos, portanto.


Estou ausente, mas não distante. Foram meses de mudanças profundas, parte de um processo que ainda não terminou - falarei sobre isto quando conveniente. Prometo novos posts para breve! :-)