2005-10-05

Cala-te, e então cala-me.

Tão cedo passa tudo quanto passa!
Morre tão jovem ante os deuses quanto
Morre! Tudo é tão pouco!
Nada se sabe, tudo se imagina.
Circunda-te de rosas, ama e bebe
E cala. O mais é nada.
Fernando Pessoa

Pra tirar um pouco da poeira deste blog, E pra não deixar as últimas semanas em branco...