2005-08-10

Férias

Bom, apesar de não parecer (este blog já esteve mais ativo, admito), estou em férias!! :-)

Desde o dia 22 do mês passado que minhas únicas preocupações trabalhistas são "quanto ainda tenho de salário na minha conta??". Infelizmente a resposta nunca foi "o bastante pra fazer tudo o que quero", mas tenho tido o suficiente para algumas necessidades básicas que tenho negligenciando nos últimos 18 meses. Não posso ficar contrariado, posso?? O:-)

Decerto que nem tudo têm sido flores: por motivos diversos (e acreditem, alheios à minha vontade)

  • ainda não tirei os pés da cidade (nem pra ir à Presidente Figueiredo!! Santa Heresia!!),
  • não vi todos os amigos que estavam por aqui de passagem (e que já se foram - este é o lado ruim de tirar férias temporãs!!),
  • não dei um único gole de Ale no Fellice durante a semana (nada como encher a cara sem culpa!!)
  • tampouco arrumei meu apartamento (taí: disto eu não me arrependo... ainda... heheheheh).
  • Mas o pior é que não consegui levar meu filho no cinema!

Porque além de tudo, o guri me pega uma pneumonia neste domingão último e vai passar a semana inteira de molho!!! Como ele está se recuperando bárbaramente bem, acredito que eu consiga salvar a próxima semana para ele - mas já estou acendendo velas desde já!

Mas se tem uma coisa que tenho feito à exaustão é ler.

Aproveitando os momentos de insônia que me são peculiares (ou talvez até mesmo causando-os!!), o fato é que estou lendo um livro atrás do outro - minha média é de um a cada três dias, mas já li um livro inteiro numa tacada só!! ;-)

Não são apenas livros de entretenimento (como "3001, a Odisséia Final" de Arthur C. Clarck; ou os livros da Neil Gaiman, cujas sinopses estou postando aos poucos), mas também livros instrutivos, enriquecedores ou simplesmente esclarecedores:

  • Desde Joseph Campbell até Flávio Gikovate (ok, ok... e um pouquinho de Maria H. Matarazzo);
  • Desde Filosofia Metafísica ("A Pílula Vermelha" e "Matrix: Bemvindo ao Deserto do Real") até Filosofia do Trabalho ("O Ócio Criativo", de Domenico Demasi);
  • Desde História recente do Brasil (a série "Ditadura" do Elio Gaspari é simplesmente fantástica) até uma retratação história notável da França do sec. XVIII ("Os Miseráveis", de Victor Hugo - indescritível);
  • Desde clássicos da antigüidade ("A Divina Comédia", de Dante Alighieri) até clássicos da Modernidade ("Em busca do tempo perdido", de Marcel Proust);
  • E mesmo um pouco de religião (basicamente, Allan Kardec)

30 dias não são suficientes para dar cabo de tanto material, com certeza. E levando em consideração que ainda não adquiri todos os livros que quero ler (como a série "Foundation" do Mestre Asimov; ou "Minority Report" e "Do Androids Dream of Electric Sheep?" de Phillp K. Dick - estes eu quero ler no original em inglês!), vocês podem ter certeza de que passarei ainda muitos meses lendo - não pretendo mais negligenciar minhas necessidades básicas, a leitura uma delas.


Eu não sei quantificar a importância que minhas leituras têm tido nas últimas semanas.

O processo de "auto-reapresentação" que tenho sofrido desde a inauguração deste blog (e que também foi o principal motivo por sua criação) tem me levado por caminhos que eu havia esquecido que trilhei.

Agora, este processo de auto-conhecimento está se voltando, lentamente mas inexoravelmente, rumo à trilhas desconhecidas, a lugares que eu ainda não estive, a processos que eu desconheço e a resultados que não posso mais prever.

Estou começando à descobrir um Pink que eu ainda não conhecia.

Estou descobrindo habilidades que eu não sei se já me eram natas e apenas latentes, ou se estão sendo forjadas - a ferro e a fogo - pelo processo desencadeado há quase um ano.

E também estou descobrindo novas incapacidades e inseguranças - talvez frutos ou conseqüencias das tais "novas" habilidades.

É um processo sem fim - e o que me espera no futuro me é uma completa incógnita.