2005-03-26

Marcas do que se foi, Sonhos que vamos ter

Num post não muito distante, fui questionado se eu não estaria indeciso sobre alguns aspectos da minha vida íntima: se não me faltaria coragem para assumir de vez o que eu quero.


Eu não estou indeciso, nem me falta coragem. :-)

Mas sim, falta alguma coisa...

Talvez me falte um pouco de tolerância, mas isto é papo pra outro post.


Também fui questionado se minhas "ex" são realmente minhas "ex"... ;-)

Bom... Elas são e não são "ex"... Sob um certo sentido, devo ser um dos polígamos X-P de maior sucesso no mundo : quardo todas elas no coração, com saudades e desejos de felicidade (e ainda sou correspondido!! uhuu!!). Me correspondo (ou converso) com as que mais me marcaram (e, portanto, não consigo me desligar) já fazem anos...

E a verdade é que sinto saudades de todas elas. Mas sei que elas são passado, estamos todos tocando a vida pra frente (casamento, filhos, faculdade... a vida não pára) - não alimento fantasias de déjà-vu.

O medo de que falo não envolve "apenas" mulheres, mas também outros aspectos não tão românticos da minha vida - trabalho, filhos, estudos, bem-estar...

Tais escolhas não são tão simples quanto "ficar com fulana ou ficar com beltrana", ou "eu devo ou não devo a aceitar aquela proposta de emprego". Algumas escolhas são do tipo:

  • "o meu guri vai se sentir bem saindo comigo e a eleita" ou...
  • "a namorada vai ter saco de 'perder' 2 fins de semana por mês com programas infantis" ou...
  • "como fica minha relação pai/filho se eu for trabalhar em outra cidade ou estado"...
  • Ou então, tudo ao mesmo tempo e agora...

Férias, escola, feriados, Natal, ex-esposa precisando de ajuda, pensões, problemas trabalhistas, problemas familiares, obrigações domésticas...

Tudo influencia, tudo atrapalha, tudo ajuda.


O Universo conspira...