2004-10-10

Ode à Gripe.

Tú, Vírus malévolo e insidioso
Que minha vida avacalhas,
Saiba que não sairás vitorioso
Mesmo que eu vista 5 malhas.

Combater-te-ei até o fim dos meus dias
Incansavelmente, do amanhecer ao arrebol.
Tú não és David, tampouco eu sou Golias,
(Cazzo, onde enfiei meu Paracetamol?)

Dor-de-cabeça estás a me causar
(E tosse, rouquidão e bronquite talvez)
Merda! Preciso ir ao banheiro vomitar...

Mas eu resistirei não importa à que custo
(Seja o show do Angra, seja a cor de minha tez)
Porque, sei, a vitória pertence ao Justo.

Brincadeiras à parte, a gripe tá foda. Nada me tira da cama hoje.

Trrimmmm

"Alô?"

"Paiê! Você prometeu trazer Pizza!!!"

RAIOS!!