2004-09-18

At Blog on the Fields of the Lord

Esta merda vicia!!! :-)

Estava eu tranqüilamente deitado em minha cama, ouvindo Emerson, Lake & Palmer e finalmente lendo Contos Inacabados do Tolkien quando uma passagem qualquer do Prefácio (sim, eu sempre leio os prefácios de todos os livros!) fez-me lembrar deste excelente filme - dirigido por Hector Babenco. Existia vida inteligente no cinema brasileiro antes de Central do Brasil. :-)


Parece que o filme só está disponível em VHS, mas sempre podemos recorrer ao livro...

Dá pra ver também o trailer...


Um bando de missionários cristãos norte-americanos (Daryl Hannah entre eles) vêm para a Rain Forest no intuito de fazer o Bem e divulgar a Mensagem de Cristo. Um casal é puritano, bem estilo fundamentalista. O outro, humanista, tenta ser mais coerente e respeitar as diferenças culturais existentes. Ambos fracassam flagorosamente - de uma forma ou de outra, todos foram incapazes de superar seus preconceitos e intolerâncias numa sucessão de eventos que culminaram em tragédias pessoais para todos os envolvidos.

Nesta bagunça, dois aventureiros norte-americanos (um deles um índio pele-vermelha, interpretado por Tom Berenger) se metem em encrencas com as autoridades locais (pois é...) e acabam se enfiando no meio deste imbróglio quando são forçados à dar cabo de uma missão execrável em troca da "solução" de seus problemas.

É importante ver o bendito filme pra entender o que escrevo à seguir... ;-)


Às vezes, eu me sinto como Lewis Moon, pilotanto o monomotor pela imensidão verde rumo àquela explêndida queda d'água (Angel Falls, em Roraima : a maior do mundo!!). Fico imaginando o que passa pela cabeça de um homem que está prestes à se jogar (literalmente) numa civilização extremamente primitiva, mesmo do ponto de vista de um descendente de uma outra civilização primitiva.


Enquanto os índios amazônicos encontram-se ainda na Idade da Pedra, os índios norte-americanos, quando no seu auge, estavam (se não me engano) em algo semelhante à Idade do Ferro.


Fico imaginando o que o levou à bancar Kissumú, o que o fez acreditar que conseguiria tranformar um aglomerado de tribos em uma nação indígena nos moldes dos pele-vermelhas. E reflito sobre a facilidade com que as pessoas, mesmo as altruístas, se deixam levar pelas armadilhas de um Ego Hipertrofiado.

É quando eu me olho no espelho e me pergunto se não estou bancando Lewis Moon, Martin Quarrier, Leslie Huben ou simplesmente o maluco do Wolf.

Sou fã do Padre Silva (ou Xantes, de acordo com o IMDB).